Já não há impossíveis!

Qual a relação entre os Grammy Awards de 2017 e a palavra IMPOSSÍVEL?

A cerimónia dos Grammys de 2017 contou com uma actuação que poderia ter sido brilhante entre Metallica e Lady Gaga – digo que poderia ter sido, pois infelizmente a actuação no dia da cerimónia contou com um conjunto de percalços que tornaram o ensaio geral muito acima da actuação na cerimónia. Enfim, acontece…(pode vê-la aqui).

Acabei por gostar da ideia, embora para mim esta combinação tenha sido algo assim como misturar riscas com flores num mesmo coordenado.

Fiquei a pensar se eu seria capaz de correr um risco assim, e conclui que na vida, muitas vezes somos confrontados com estas propostas que parecem impossíveis, mas acabam por dar bons resultados.

Misturar riscas com flores não seria um risco que correria, talvez optasse por outras alternativas. Mas a ideia fundamental é que sair da zona de conforto nos abre sempre novas perspectivas. Não o fazemos mais vezes com medo do desconhecido, mas também com o normal receio dos resultados que não conseguimos antecipar.

Se nos sentirmos incapazes de arriscar na vida, devemos usar pequenos truques para ir mais longe:
» Porque não começar por usar cores fora da nossa paleta habitual?
» Ou ousar um pouco no nosso estilo de sempre?
» Atreve-se a mudar o corte de cabelo que usou toda a vida?
» Complementarmente, escreva uma carta em vez de enviar um email;
» Cumprimente pessoas que não são agradáveis consigo.

Bom, estes são apenas alguns exemplos que poderá adaptar à sua realidade pessoal.
O que gostaria de partilhar consigo é que correr riscos é sempre uma forma de amadurecimento. A mim ajuda-me a enfrentar situações que noutras circunstâncias me pareceriam totalmente impossíveis de suportar. E digo-vos, pode ser cansativo e em certos dias frustrante, mas vale a pena pelos resultados no seu conjunto, já para não falar de que vai criando ‘calo’ para aguentar outras situações idênticas ou ainda piores.

Começo a achar que nesta vida muito poucas coisas são impossíveis. Precisamos de um pouco de coragem para inovar e percorrer um caminho que ainda não conhecemos. Ou, como diriam os Metallica, light it up, ah light it up. Another hit erases all the pain.

 

Filomena Gonçalves, blogger, iamage coach, voluntária da DFS Lisboa

 

Anúncios