…Sofia Contente – Coordenadora do Centro de Desenvolvimento de Carreira da Dress for Success Lisbon

Recentemente, a Dress for Sucess Lisboa relançou o Centro de Desenvolvimento de Carreira. O objectivo é simples: estar cada vez mais próximo das pessoas que atende, bem como das atuais necessidades das empresas e instituições do mercado.

 

sofia2

Sofia Contente, Coordenadora do Centro de Desenvolvimento Carreira

Qual a função do Centro de Desenvolvimento de Carreira?

 A função do CDC é apoiar pessoas, homens e mulheres, em situação de desemprego ou empregadas. E ajudá-los na redefinição de objetivos profissionais, gestão de carreira, na questão do work and life balance…Pretendemos dessa forma reforçar a autoconfiança de cada mulher através de um atendimento personalizado e feito com muito respeito pela dignidade de cada uma.

Que tipo de serviços prestam?

No Centro de Desenvolvimento de Carreira fazemos o diagnóstico dos talentos das pessoas que nos procuram, das suas skills e do que precisam de trabalhar, da sua capacidade de empreender, sendo ainda projetado com apoio de um técnico (especializado na área de recursos humanos e psicologia), um plano pessoal que poderá visar a procura de emprego, de formação ou a retenção do seu posto de trabalho.

Estão previstos novos eventos?

Este foi o primeiro evento deste ano, mas iremos ter um na área da Economia Social e realizar 4 workshops para pessoas em situação de desemprego. Queremos chegar cada vez a mais pessoas, tentando cumprir dessa forma a nossa missão, a missão da DRESS. Que para além da Boutique e Centro de Desenvolvimento de Carreira, oferece ainda o Professional Women’s Group que é um programa de formação criado para promover a retenção no posto de trabalho e desenvolvimento da carreira profissional das mulheres, capacitando-as com as ferramentas para a gestão diária da vida profissional e pessoal. E tem também um grande foco na formação para a inclusão. Razão pela qual somos contactados por outras associações e mesmo organismos públicos, para realizar ações no âmbito da empregabilidade e imagem.

Na sua opinião, que tipo de caracteristicas ou skills as empresas mais procuram e valorizam?

De acordo com um relatório publicado recentemente, o  relatório Flexibility@Work 2016 da Randstad, apontaria as seguintes 10 competências não formais mais relevantes: “a resolução de problemas complexos; pensamento crítico; criatividade;  gestão de pessoas; coordenação com pessoas; inteligência emocional; julgamento e tomada de decisão; orientação para os serviços; negociação e a  flexibilidade cognitiva.” Ainda de acordo com o mesmo estudo e no caso dos jovens, referiria ainda: “o desenvolvimento de certas competências sociais e emocionais, tais como as que envolvem o trabalho em equipa, que quando não trabalhadas, podem minar o uso das suas habilidades cognitivas.”

 Para terminar, quais os principais conselhos que daria a alguém em situação de desemprego?

Nas questões mais operacionais, se assim pudermos chamar, cuidado, muito cuidado na elaboração do cv, o cv é a cara da pessoa numa primeira fase, deve ser personalizado a cada oferta de trabalho. Depois a entrevista, a forma como estuda a empresa, sim, devemos estudar a empresa a que nos estamos a candidatar, o cuidado com a linguagem verbal e sobretudo com a linguagem não verbal. Por outro lado a situação de desemprego pode ser um bom momento para reavaliar a vida… que sonhos tenho? O que gostaria ainda de fazer e não tive oportunidade porque a vida me levou por outro caminho? Pode ser agora a oportunidade! O outro ponto que gostaria de destacar e mais intrínseco, a motivação.  A situação de desemprego é um ciclo… dias piores, dias melhores…

A pessoa tem  que ter a capacidade de se auto motivar?

Sim! Diariamente, o não baixar os braços, não ficar em casa… quem está em situação de desemprego facilmente esmorece, não deve… não é fácil, mas deve fazer um esforço, arranjar objectivos diários para sair de casa… e não precisa de gastar dinheiro, um passeio pela rua, uma ida à biblioteca, visitar alguém… conversar… fazer voluntariado… formação…  não se isolar, não ter vergonha de dizer que está em situação de desemprego, nunca sabemos de onde pode surgir uma oportunidade… com tudo isto quero dizer,  nunca desistir, não baixar os braços… e pode sempre contar com o CDC para a apoiar em qualquer situação. Existimos para isso!

E a um jovem que estivesse agora a dar os primeiros passos na sua carreira?

No caso dos jovens, considero que o grande conselho que poderia dar é FOCO! Foco na elaboração do CV e da página do linkedin ( e bom senso!)  foco na escolha do emprego ( não haver precipitações com receio de não arranjar nada melhor); foco na definição dos próprios objetivos para o futuro ( e realismo, claro!) Depois o networking, cada vez mais se assume como um elemento de extrema importância. Procurar estar nos locais onde acontecem eventos da área de interesse do jovem, conhecer o meio ao qual está a tentar pertencer.  Ter alguma calma, muitos jovens querem logo mostrar todas as suas competências, estão cheio de vontade e ideias de mudar o mundo… não é que seja mau… mas com calma e com respeito pelas hierarquias, saber ouvir… escutar primeiro… observar… não se sobre nem subvalorizar…  e por fim… e fundamental: persistência, espirito positivo e motivação!

 Vera Dias – Consultora de Comunicação e Gestora de Redes Sociais

Anúncios