Vamos vencer o medo de ter medo?

Coração acelerado, falta de ar, tensão muscular… estes são alguns dos sintomas provocados pelo medo e ansiedade. Existem medos comuns como viajar de avião, falar em público e estar em espaços fechados, outros são mais raros. A verdade é que causam sempre sofrimento a quem os sente.

Sentir medo também tem o seu lado positivo, pois é um mecanismo de defesa do ser humano, que o faz ficar alerta para eventuais situações de perigo. Mas quando esse medo limita a existência de uma vida na sua plenitude, é altura de agir!

Em primeiro lugar, faça uma reflexão profunda: consegue identificar qual é o seu medo ou é pouco claro? É irracional ou surgiu de uma experiência negativa já vivenciada? Impede-a de realizar atividades ou faz com que evite certos locais? Que consequências poderão surgir através do confronto com esse medo? Há perigo real, físico e/ou psicológico?

Após a análise anterior, acha que chegou a altura de enfrentar o medo? Há várias alternativas, consoante a gravidade da situação. Existem técnicas eficazes no tratamento de fobias, as quais são feitas em psicoterapia. Se quer ultrapassar um medo que lhe causa desconforto mas que não chega a ser incapacitante, então uma das técnicas aconselhadas é escrever-lhe uma carta… Sim, a escrita tem um poder libertador! Agradeça ao medo o seu papel protetor, mas que não autoriza o comando da sua mente.

E se entretanto voltar a sentir algum medo, não se censure! Permita-se viver esse sentimento sem culpa. O medo e a tristeza, assim como a alegria e a felicidade, são emoções inerentes à vida, que nos ensinam a viver com o fracasso e o sucesso.

O importante é que valorize e celebre as suas conquistas, e que cada dia seja uma nova oportunidade para dar o seu melhor… sem medo!

Imagem1

 

 

Adelaide Galo, Formada em Psicologia e Recursos Humanos, escreve sobre Desenvolvimento Pessoal e Bem-Estar

Anúncios