Europ-ass …. como?

Usar ou não o CV Europass é uma dúvida que muitos têm.

A resposta é: Não usar!

O Europass foi criado como forma de standardizar os Cv’s na Europa com o fim de facilitar o envio de candidaturas dentro desta.

Assim, se quiser ter um CV «cinzento», igual a milhões, está no caminho certo.

Ao criar um formato padronizado não se consegue mostrar nenhuma criatividade, não se consegue dar cunho pessoal de tipo nenhum. Mostra-se apenas as competências técnicas, e não as tão agora finalmente badaladas, «soft skills», as nossas competências sociais e comportamentais, na prática, o que nos diferencia, quem somos, os nossos valores, como nos comportamos, o que valorizamos, como interagimos.

São as soft skills que facilitam a nossa relação com os outros, melhoram o nosso desempenho profissional e aumentam as nossas perspectivas de carreira.

Um CV individual permite muitas vezes depreender muitas das competências de um candidato, como ver a forma de organizar ideias, criatividade, linguagem gramatical e ortografia.

O CV Europass torna-se facilmente um CV pesado, demasiado longo pela sua estrutura, com informação demasiado simplista que, não facilita a tarefa a um recrutador que tem de ver milhares de cv’s por dia e que dificilmente conseguirá distinguir um candidato de outro.

Usem por isso apenas o Europass se for explicitamente pedido no anúncio ao qual se candidatam.

Foto aqui.

 

Filipa Silva, Profissional de RH

Anúncios