Curriculum Vitae – o nosso espelho

A competitividade na nossa sociedade eleva-nos a outro nível de responsabilidade e dinâmica quer a nível pessoal, quer a nível profissional. Profissionalmente, a mudança ou procura de trabalho revela-se cada vez mais uma maratona nas nossas vidas, sendo mais as vezes que nem sequer nos chamam para uma entrevista do que as vezes que nos convidam a uma entrevista final para apresentação de uma proposta.

Comecemos então pelo princípio, pela primeira impressão que causamos a quem recebe a nossa candidatura, o recrutador, através do envio do curriculum vitae.

 Este simples documento deve ter, habitualmente, no máximo duas páginas, com os seguintes conteúdos:

  • Fotografia – «uma imagem vale mais que mil palavras», a fotografia deve enquadrar a sua cara e tronco, vestindo uma camisa ou uma blusa cuidada e sorrindo de forma simples, com um fundo neutro;
  • Informação pessoal completa – nome, morada, telefone, email, data de nascimento;
  • Experiência profissional: resumo das suas experiências profissionais, devidamente datadas e identificadas relativamente à empresa com quem trabalhou;
  • Habilitações: qual o nível de escolaridade e em que área frequentou determinado curso;
  • Conhecimentos a nível informático – programas e softwares em que saiba mexer;
  • Ocupação nos tempos livres ou informações adicionais relevantes.

Esclarecidos os conteúdos, devemos ter em atenção duas regras muito simples mas importantes:

  • revisão do que escrevemos para que não haja erros ortográficos
  • e para sermos verdadeiras no que espelhamos no curriculum vitae.

Do lado de lá apenas nos vão conhecer através do curriculum vitae e, se corresponder às necessidades do recrutador, essa será a nossa única ferramenta para chegarmos ao que queremos: o nosso trabalho, o nosso emprego.

Mas este é apenas o começo de uma viagem que é o processo de recrutamento e selecção, por isso, vamos lá!

Foto encontrada aqui.

Sofia Murta, HR Professional

Anúncios